Terça, 28 de Junho de 2022
Política MEMÓRIAS

Rememore encontro entre os ex-governadores da PB, Burity e Ronaldo Cunha Lima

Na foto, um desses encontros entre os dois maiores políticos da Paraíba.

27/02/2022 às 12h37 Atualizada em 27/02/2022 às 13h03
Por: Redação
Compartilhe:
Na foto, um desses encontros entre os dois maiores políticos da Paraíba
Na foto, um desses encontros entre os dois maiores políticos da Paraíba

Por redação
Tribuna10, em 27 de fev de 2022  às 12:45

TRIBUNA10- Uma foto do jornalista, Wellington Farias, nos faz voltar ao tempo. Antes da confusão, os ex-governadores da Paraíba, Burity e o também ex-governador, Ronaldo Cunha Lima costumavam trocar ideias políticas. Nessa foto veja um desses momentos.

Tarcísio de Miranda Burity (João Pessoa, 28 de novembro de 1938 – São Paulo, 8 de julho de 2003[1]) foi um jurista, político, escritor e professor brasileiro.[1][2] Foi deputado federal e, por duas vezes, governador da Paraíba.[1] Também foi promotor de Justiça e professor da Universidade Federal da Paraíba.[1]

Era filho de Luís Gonzaga de Albuquerque Burity e Maria José de Miranda Henriques.[2] Casou-se com a professora Glauce Maria Navarro Burity, com quem teve quatro filhos:[2] Tarcísio Navarro Buriti, Maurício Navarro Burity, Leonardo Navarro Burity e André Luis Navarro Burity.

Ronaldo José da Cunha Lima (Guarabira, 18 de março de 1936 - João Pessoa, 7 de julho de 2012) foi um advogado, promotor de justiça, professor, poeta e político brasileiro. Durante sua carreira política foi vereador de Campina Grande, deputado estadual da Paraíba por dois mandatos consecutivos, prefeito de Campina Grande em duas ocasiões, governador da Paraíba, senador da república e eleito deputado federal por duas vezes.[1][2]

Também foi conselheiro federal da Ordem dos Advogados do Brasil e membro da Academia Paraibana de Letras.
Em 1993, cometeu um atentado contra a vida do ex-governador da Paraíba Tarcísio Burity, em quem disparou três tiros. Tendo sido denunciado perante o Supremo Tribunal Federal por tentativa de homicídio, renunciou ao mandato de deputado federal perto da data do julgamento em 2007, perdendo o foro especial e atrasando a ação penal, que jamais chegou a ser julgada.
Morreu aos 76 anos, devido a um câncer no pulmão do qual sofria desde 2011.[3] Era pai de Cássio Cunha Lima, ex-governador e ex-senador da Paraíba, e avô de Pedro Cunha Lima, deputado federal.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários